Clínicas médicas e serviços de saúde devem dedicar atenção e cuidado especial em relação à segurança de suas bases de dados de pacientes, pois armazenam dados pessoais sensíveis, como, por exemplo, prontuário completo dos pacientes, diagnósticos com descrição de problemas de saúde, exame de imagens, e convênios.
Na posse das referidas informações, pessoas mal-intencionadas poderiam aplicar vários golpes contra os pacientes, tais como exigência de pagamentos, extorsão para que as informações não fossem reveladas, e até mesmo obtenção de mais dados ao se passarem por funcionários da clínica.
Recentemente uma clínica médica acabou tendo a sua vulnerabilidade exposta por um sistema, que tornou possível a visualização de mais de 2 mil laudos médicos. Lembrando que no final do ano passado, vários laudos de um plano de saúde também foram expostos.
Embora a Lei Geral de Proteção de Dados ainda não esteja em vigor, vazamentos de dados pessoais podem caracterizar Falha na Prestação de Serviço, nos termos do Código de Defesa do Consumidor, e também violação ao sigilo médico.
Considerando a seriedade do assunto, bem como a gravidade decorrente de eventual vazamento de dados, é de suma importância a tomada de medidas preventivas por parte das clínicas médicas, com a orientação de um especialista, com o principal objetivo de proteger a privacidade de seus pacientes.

Bruno Schmidt Silva, OAB/PR 85.765