A empresa pode armazenar currículos de candidatos não contratados?

Com isso, surgem algumas dúvidas e uma delas é: A empresa pode armazenar currículos de candidatos não contratados?

➡️ O recebimento dos currículos acontece com a abertura de um processo seletivo na empresa ou até mesmo pelo eventual envio espontâneo de pessoas que buscam emprego. Com a vigência da LGPD algumas práticas para o tratamento de dados devem ser observadas de forma especial pelo setor de Recursos Humanos/Recrutamento e Seleção, sobretudo a boa-fé e os princípios previstos no artigo 6º da LGDP: finalidade, adequação, necessidade, transparência e acesso livre.

➡️ Assim, aqui estão algumas perguntas que você deve ser capaz de responder: Quais são as fontes de candidatos e como coletamos dados pessoais? Que tipo de dados são coletados e quais são realmente usados? Como os dados são armazenados e quem tem acesso a eles? Como os dados transitam entre os envolvidos no processo de seleção? Quais são os departamentos impactados? Quais são os processos internos para compartilhamento, transferência, modificação e exclusão de dados?

➡️ O tratamento, de acordo com a natureza do dado obtido, poderá ter como base legal o consentimento do titular, atendendo interesse legítimo da empresa, denominada controladora.

➡️ Observando os princípios anteriormente citados, com objetivo na redução de riscos e respondendo a indagação desse post, é importante que a empresa aponte quais os dados devem contar nos currículos ou criem formulário próprio para preenchimento dos candidatos, com o recolhimento apenas das informações que são estritamente necessárias, informando a finalidade e a possibilidade de armazenamento para futuras seleções.

➡️ Esses cuidados exigidos pela LGPD garantem que não haja exposição de forma indevida ou inadequada dos candidatos.

📍Quer saber mais sobre a LGPD? Entre em contato com a nossa equipe e fique atento a nossas redes sociais.

Fale conosco
Como podemos ajudar?